sexta-feira, 20 de julho de 2018

Capítulo 5 - The Fight


Flashback

31/12/2012

Joseph estava ficando finalmente familiarizado com a cidade, com as pessoas, tinha até copiado alguns costumes de L.A. Ainda não faturava muito como fotógrafo, mas estava vivendo seu sonho. Teve até uma namorada durante esse tempo, mas não deu certo. A garota da festa que ele tanto ficou olhando tinha virado uma conhecida, mas só da parte dele, porque ela parecia nem nota-lo. Era o que restava. Uma mulher tão independente e forte não iria nem sequer olhar para ele, nem que fosse sem querer.

Em mais uma festa, bem arrumado, com seu jeans novo, camiseta de banda e jaqueta de couro, estava tomando de novo aquele drink doce, mas desta vez não estava tão bom como na primeira.

E lá estava ela, mais uma vez, em um lindo vestido branco. Joe, dessa vez tinha levado sua câmera e não perdeu a oportunidade. Ela não parecia ter gostado muito, pois começou a bater os pés em sua direção.  Parece que alguém estava encrencado.

- Quem você pensa que é para me fotografar assim? Por acaso é algum tipo de paparazzi nojento? Eu sou linda, mas não sou nenhuma dessas atrizes ridículas que costuma ver por aí. – Ela nem dava espaço para o pobre Joe se defender – Não vai falar nada? Vai ficar me olhando?

- Me desculpe, eu sou fotógrafo, eu só achei que seria uma linda foto, se gostar e quiser lhe envio por email, não irei cobrar nada. – Apesar da tensão, ele mostrou-lhe a foto, e pelo sorriso, ela tinha ficado encantada.

- Bem, ficou legal até. Como é seu nome? O meu é Demetria, mas pode me chamar de Demi. – Depois do momento estresse ela havia percebido que o fotógrafo era até bonitinho. Bem, era esse tipo de adjetivo que ela costumava usar.

Fim do flashback.

Dias atuais 03/02/2018

Aquele sim tinha sido um réveillon memorável. Demetria tinha passado aquela noite inteira pensando no tal fotógrafo, mal sabia que ele viria a ser seu futuro ex marido e pai do seu filho. Ela estava no escritório da sua empresa e como todos os dias ela se distraía pensando em seu passado com Joseph. Hoje é dia de buscar o Dan na casa do pai e ela nem sabe porquê passou na empresa primeiro. Ela vinha evitando encara-lo desde a primeira semana do ano. Mas hoje ela não teria escapatória, pois seus pais não poderiam busca-lo e Ian depois que eles fizeram as pazes, disse não querer ter que lidar “com o palerma do Joseph”. Eram 9:00AM, e a sua secretária apareceu com seu café e para não perder o costume ela reclamou:

- Você demorou trinta minutos para me trazer uma droga de um café!

- Desculpe senhorita Lovato a fila estava...

- Fila, odeio filas! Coisa de gente desprivilegiada. – pegou o café de supetão e se levantou pisando forte – sai da minha frente! – a moça lhe deixou passar.

No caminho até a casa de Joseph a playlist de Demetria não estava colaborando muito, então ela desligou o rádio do carro. Ela pensou em gritar, mas não queria pagar de louca no trânsito. Quando finalmente chegou abriu a porta do carro e entrou no edifício, ela detestava  aquele lugar e o Ben ainda achava que a casa do pai era “legal”. Às vezes ela pensava que essa convivência dos dois estava deixando filho parecido com o pai em tudo, e isso a deixava irritada o herdeiro do seu império não poderia pensar que nem o Joseph.

Enquanto estava no elevador batia um dos pés com impaciência tudo naquele lugar a irritava, a TPM esse mês estava mais que absurda e ter que ir naquela casa, não estava ajudando. Chegando a porta, Demetria tocou a campainha e deu de cara com a garota ruiva. Seu dia não poderia estar sendo pior. Ela não entendeu porque até hoje o Ben ainda não tinha lhe passado essa informação ele sempre lhe falava tudo.

- Quem é você e onde está o Joseph?

-Mamãe! Entra, o papai foi tomar um banho, a gente acabou de acordar. – isso a deixou intrigada e então não resistiu em fazer a pergunta.

- Ela dormiu aqui? – disse apontando para Dani

 - Dormi sim, por quê? – as duas estavam parecendo duas lutadoras de jiu jitsu prontas para se atacarem quando Joseph desceu as escadas perguntando:

- Quem era? – ele ainda estava secando os cabelos com a toalha e sem camisa para desespero de Demi. – ah é você. As coisas do Ben estão ali, mas ele ainda precisa tomar café da manhã.

- Ok. Eu espero, quero conversar com você a sós. – quando disse a sós enfatizou bem, pois queria que Dani entendesse. – e você filho como passou essa semana?

- Muito bem. Mas agora to com fome – ele sorriu e fez todos rirem.

Demetria ficou sentada na sala olhando ao redor e percebeu que o Joe não era um homem tão sozinho quanto ela pensava. Viu muitas fotos espalhadas pela sala com pessoas que ela não conhecia. Bem, das fotos ela só reconheceu o Jack, a ruiva e espera, era a sua dentista? Alem desses tinha também uma moça agarrada ao Jack, uma loira grudada na ruiva, um bando de desocupados sem futuro que nem o Joseph. Ela suspirou impaciente e quando olhou para trás Joseph tinha croissaints e cappuccino.

- Bem, eu trouxe isso pra você, se não quiser eu levo de volta, a gente pode conversar logo aqui na sala.

- O meu café estava horrível hoje então vou aceitar. – depois de beber um gole do café ao qual ela conhecia muito bem resolveu começar a falar- antes da conversa, você tem uma maquina de café?

- Tenho, eu ganhei de aniversário de uma amiga.

- Essa que está aqui? – ele sorriu involuntariamente – qual a graça? Anda responde Joseph.

-Não, é essa daqui – lhe mostrou a foto – agora pode falar, achei que minha vida não era interessante pra você. – ela revirou os olhos com a resposta.

- Ela é sua namorada? Porque você estava super informado do meu relacionamento e quando chego aqui tem uma mulher na sua casa? E olha que não é a primeira vez que o vejo com essa...

- Olha o jeito que você vai falar... Sério que era isso? Você é realmente inacreditável - ele balançou a cabeça negativamente.

- Não vai responder porque é.  Olha aqui, você não vai criar o meu filho com essazinha ok?

- A Dani é a minha amiga. E se não fosse não seria da sua conta. Você não pode controlar a minha vida porque eu não estou nem aí pra sua! – ela ficou paralisada com a resposta dele, ele nunca tinha dito algo assim – droga! – ele disse para si mesmo – vou tomar café na cozinha. 

- Espera. – ela disse mais calma e com a voz embargada e ele olhou para trás procurando por um vestígio da Demi que ele achava que conhecia – eu só queria saber, não precisa ficar bravo desse jeito.

- Você me estressa bastante às vezes, sabia?

Eles ficaram calados, o único barulho que se escutava era o da xícara sendo pousada no centro da sala. Demi observou que a casa do Joe não era tão brega e bagunçada como ela imaginava. Para uma casa que era dele tinha até bastante detalhes. Em sua cabeça Joseph lhe escondia coisas do tipo, ter uma mulher, não era possível que ele tenha pensado naquilo, ele nunca se importou e ela iria descobrir quem era a vagabunda. Pelo jeito estressado que ele ficou, com certeza tinha uma coisa pra esconder.

 Depois de um tempo, Ben finalmente estava pronto para ir embora o silencio já havia se tornado perturbador. - Pronto mãe. – ele chegou enchendo-a de abraços e beijinhos, arrancando-lhes sorrisos – tchau papai, te amo – agora era a vez do pai que no mesmo instante desamarrou a cara.

- Te amo filhão e uma ótima semana pra você. – Joseph os levou até a porta sem se despedir de Demi e fechou-a, ficando ali encostado sem saber o que fazer sobre tudo isso.

Demetria entrou no carro sem muita paciência e tentou colocar outra playlist para ver se clareava as ideias, ela também não sabia muito bem o que fazer sobre tudo aquilo, mas definitivamente não queria ter uma boa relação com o Joe depois do que ele lhe disse. Enquanto ela ria do Ben tentando cantar uma música que ouvia pela primeira vez, pensou em como descobriria sobre a vida de Joseph e o que faria para tirar o filho de uma vez da vida dele. Aquela raiva só aumentava e tomava conta do coração de Demi, era uma coisa realmente incompreensível. Foi aí que ela pensou: Preciso contratar um detetive.


CONTINUA...

O capítulo está bem curto, mas o próximo promete e partir de agora o pobre do Joseph está ferrado, a Demi vai fazer da vida dele e é so isso que vocês precisam saber kkkkkkkkkkkk. Espero que vocês tenham gostado do capítulo, até o próximo.


quinta-feira, 12 de julho de 2018

Capítulo 4 - parte 2/2 - The Birthday


Finalmente noite de trinta e um de dezembro. É perceptível a mudança de clima entre as pessoas, aquela sensação de esperança, como se tudo pudesse mudar a qualquer momento, pois vai se iniciar um novo ano. Apesar de ter tudo que qualquer pessoa queria Demetria também sentia tudo isso como qualquer pessoa. Ela se olhava no espelho enquanto colocava seus brincos grandes se perguntando o que o novo ano lhe traria. Ainda se olhando, respirou fundo como se estivesse tomando fôlego para 2018. Para ela seria um ano de mudanças. E de mais vitórias.

Depois de tanto pensar mandou um “parabéns” a Joseph via Whats App, ele lhe respondeu um “obrigado”. Ela revirou os olhos e resolveu ir à procura de Ian. Depois de se divorciar de Joseph, Demi foi muito questionada por seus pais, eles adoravam Joseph e sua simplicidade. Apesar de não ter muitas ambições ele é um rapaz inteligente e segundo ela, não sabia utilizar disto. Ela queria que sua família a apoiasse como Ian a apoia, sem questionar. Demetria explicou várias vezes a seus pais que Joseph ainda precisava de muito para se tonar o homem que ela sempre sonhou e que lhe faria completamente feliz. Quando eles souberam do noivado, não ficaram muito entusiasmados, mas também não protestaram. Mas ela sabia qual era a opinião deles sobre aquilo tudo.

Chegando ao saguão do hotel, Demi encontrou um Ian bem arrumado, de jaqueta de couro preta, t-shirt branca e jeans escuro. A cada dia o azul dos olhos dele chamava-lhe mais atenção. Quando ele a viu, lhe mostrou um sorriso galanteador, e ela claro sorriu para ele de volta. Os dois foram em direção um ao outro.

- Você está perfeita. – selou-lhe os lábios – a mais linda de todas.

- Assim você me deixa sem graça, bonitão. – sorriu tímida e envolveu os braços ao redor da cintura dele. – a festa vai ser aqui mesmo?

- Não, vamos virar o ano no mar – ela arqueou uma sobrancelha, pois aquilo para ela era novidade. – em um iate para ser mais preciso. – deu um selinho nela e seguiram caminho.

Eram 9:45 PM e todos do hotel que iam participar da festa estavam descendo para adentrar seus carros  com seus motoristas particulares. Todos muito elegantes e cheios de pompa esperando ansiosamente pela vinda do novo ano. Dois mil e dezessete já estava no limite para todos eles. Demetria resolveu logo envolver o braço de Ian com o dela, porque apesar de todas as mulheres estarem acompanhadas o seu par não passava despercebido.  As mesmas recebiam olhares mortais da baixinha mais atrevida de Beverly Hills.

- Um bando de atiradas – isso fez Ian gargalhar com vontade, ele adorava vê-la sentindo ciúmes.  – quero saber o que é tão engraçado. – Enquanto caminhavam e riam chegaram ao carro. Aquele lugar já era muito bonito, mas aquelas luzes ainda do natal, e enfeites deixavam tudo ainda mais lindo, o que fez Demi viajar em seus pensamentos enquanto não chegava ao seu destino. Haviam muitas pessoas, principalmente famílias indo em direção a praia para passar o réveillon. Ela e o Joe já tinham feito isso algumas vezes, era como ele gostava de passar o aniversário “de um jeito simples, mas com quem ele ama por perto”. Demetria costumava dizer que ele era caxias e até um pouco carente pelo fato de estar longe da família. Ah, como isso a irritava! Não tinha nada que ela fizesse que não lembrasse Joseph, ele era um fantasma em sua mente enquanto isso ele já havia a esquecido por aquela ruiva magrela.  Esses pensamentos deixaram Demi com uma cara enfezada.

- o que foi?- perguntou Ian

- Nada – era sempre essa a resposta quando ela pensava em Joe. Ela insistia em dizer que era isso que ele significava para ela.


Joseph não estava entendendo muito bem o porquê de o Jack ter que busca-lo se ele sabia onde é a casa da Giu, mas resolveu aceitar. O amigo usou um tom bem desesperado, então pensou que ele deveria ter um motivo para isso. O que o deixou bem desconfiado.

- Eles nunca desistem de tentar me surpreender.

O celular de Joe começou a tocar e o número de Jack apareceu na tela e ele atendeu.

-Oi, já chegou?

- Cara porque você não lê suas mensagens?

- Eu desativei o wifi, calma. Eram muitas mensagens de aniversário.

- Olha só como ele é importante! Agora desce logo. – Joseph riu do desespero do amigo, parece que estavam atrasados para a festa surpresa dele.

- Eu já estou descendo. – riu encerrando a ligação – Vamos Ben?

- O tio Jack demorou né pai?- Ben disse, enquanto o pai abria a porta do apartamento e iam a caminho do elevador.

- Um pouco, deve ter se enrolado todo como sempre.

- Deve ser porque o cabelo dele é grande. – Isso fez Joe gargalhar alto.

- Só pode.

Joseph e Benjamin foram brincando de cócegas até o elevador chegar ao térreo. Passaram pelo porteiro já desejando feliz ano novo e depois saíram do edifício. Quando encontraram Jack o nervosismo dele falando ao celular estava ainda mais evidente. Os dois foram se aproximando e Joe balançava a cabeça negativamente e sorrindo.  Entrando no carro se cumprimentaram e foram quase em absoluto silêncio pelo percurso, o silêncio só não era total, porque Ben falava e falava muito. Joseph e Jack trocaram algumas poucas palavras e se olhavam com desconfiança, Joseph às vezes sorria fingindo olhar algo no celular, o que fez Jack ficar um pouco mais aliviado. Quando finalmente chegaram ao condomínio em que Giuliana morava, passaram pela portaria, e Jack e o porteiro trocaram olhares e sinais cúmplices, Ben que adorava uma aventura, sorria largamente no fundo do carro. Chegaram a porta da casa e estava tudo muito silencioso, Joe estranhou porque eles nunca conseguiam fazer tanto silêncio. Ele imaginou Giu e Dani dando beliscões em cada convidado. Ao entrar na casa e ouvir todos gritarem surpresa, ele nunca tinha sido tão surpreendido e por incrível que pareça ele não estava bravo por ter tanta gente em sua festa, as lágrimas já haviam começado a brotar em seus olhos, sua festa era uma exposição de fotos que ele mesmo havia tirado. Estava tudo tão perfeito que ele precisava de uma câmera para registrar tudo aquilo. Ele sorriu com o pensamento dele de fotógrafo. Enquanto ele ainda admirava tudo e recebia alguns abraços e sorrisos dos amigos, Dani e uma amiga sua, a qual ele já tinha sido apresentado, entraram fazendo um número de dança, ele não sabia ao certo que estilo era aquele, só sabia pensar que era lindo! Após acabar a coreografia, as duas vieram lhe abraçar, consequentemente, os seus amigos mais próximos também. E Joseph disse:

- Eu não terei que dar discurso na frente de toda essa gente não é? Onde está o Ben?

- Ele está aqui bem amassadinho como sempre – Giu disse, todos riram e ela acrescentou – e você não precisa discursar.

Depois de todo esse momento meloso, a Dani empurrou logo a amiga para conversar com Joseph. A garota tinha um grande interesse em fotografia, o que para as meninas, Dani e Giu, acharam uma coincidência incrível e já acabaram empurrando a garota em cima dele. O nome dela é Sophie e Joe pensou, por que não dá uma chance a novas amizades?


Depois de estarem oficialmente em 2018, Demetria ainda não tinha notado se algo havia mudado. Ainda estava ao redor de várias pessoas as quais ela não sabia o nome da maioria, e estava muito, mas muito chateada com Ian. Este estava sendo seu pior réveillon. Ele conhecia a grande maioria daquelas pessoas ali presentes e havia lhe deixado sozinha, apenas comendo e bebendo sentada em uma mesa com algumas mulheres fúteis com uma conversa ainda pior. A maioria falava sobre os homens de outras mulheres, como se elas não tivessem nenhum.

Viajando em seus pensamentos Demetria perdeu Ian de vista e resolveu procura-lo – Vocês me dão licença? – ela disse as mulheres com quem estava, recebendo alguns olhares esnobes se levantou. O salto já não fazia som algum em meio a tanto barulho: som alto e muitas pessoas falando sem parar, algumas apenas se agarrando sem nenhum pudor. Quando ela conseguiu encontra-lo, não gostou do que viu e começou a andar rápido em direção a ele. Ian estava de papo com uma loira que só faltou pular em seu colo.- o que está havendo aqui?

- Nada. Estou apenas conversando. – ele respondeu calmamente, mas qualquer um veria o clima que estava rolando ali.

- Ótimo, pode terminar de curtir sua festa sozinho. – Demetria não pensou duas vezes em sair daquele iate e deu graças a Deus pelo barco ainda não ter saído do lugar, o passeio estava marcado para as 4:00AM. As lágrimas já estavam começando a descer quando ouviu a voz de Ian atrás dela.

- Demetria! Volte aqui! Pare de bobagem, é só uma garota boba! – aquilo a deixou ainda com mais raiva! Apenas uma garota boba a qual ele gostou muito.

- E se fosse eu? E se fosse só um garoto bobo?

- Ah Demi, por favor não é?

- É assim que eu faço o jogo virar. Eu detesto fazer comparações, mas se tem uma coisa que o Joe nunca fez no tempo que estivemos juntos foi me desrespeitar em momento algum! – Ian estreitou os olhos. Ela estava o defendendo na sua frente?

- Obvio! Aquele palerma não conseguiu segurar você e não consegue segurar mais ninguém!

- Não fala assim do pai do meu filho! – ela gritou em alto e bom som para quem quisesse ouvir. Demetria parecia ter entrado em outra realidade e ofegava como se estivesse lutando contra um leão para defender seu filhote. – Droga! – ela percebeu finalmente o que havia falado. – Eu te odeio Joseph. – falou baixinho para si mesma e virou as costas deixando um Ian raivoso para trás.

CONTINUA...


Eitaaaaaaaa, a Demi não consegue esconder a importância que o Joe ainda tem pra ela. Quanto tempo será que ela vai ficar enganando a si própria? E vocês o que me dizem sobre isso?



sorrisinho lindo...















sábado, 7 de julho de 2018

Capítulo 4 parte 1/2 - The Birthday




31/12/2017

Demetria tinha acordado cedo hoje. Muito cedo, para um domingo. Eram 10:00AM e ela pensava se mandaria ou não uma mensagem para  Joseph, hoje é seu aniversário e também era o de Ian. A vida não poderia ter sido mais irônica como estava sendo. Em meio a seus lençóis brancos decidiu virar para o lado e deu de cara com um par de olhos azuis sobre ela, deu seu melhor sorriso e disse:

- Feliz aniversário, meu amor – o abraçou ainda deitada, passando por cima dele. – desculpa não lhe trazer café na cama, mas eu não sou muito boa em acordar cedo. – eles riram da sinceridade dela.

- o Ben vai ficar com pai dele hoje? – ela fez uma careta, pois queria fugir do assunto. Demi ainda não tinha dito a Ian que o Joseph não liberou o Ben.

- É aniversário do Joseph hoje também e ele não abriu mão. – fechou a cara em desgosto.

- Bem, ele poderia ter liberado, já que o sábado foi dele, mas tudo bem. Às vezes eu o acho um pouco egoísta. Ele nem supre as necessidades do menino.

- Não vamos falar disso, ok? É seu aniversário e você vai me dizer o que quer para hoje, qualquer coisa que você quiser. – Ela tentou fazer a cara mais sexy que pôde. Demetria falava muito mal de Joseph o tempo todo, mas quando Ian dizia essas coisas ela se sentia um pouco incômoda.

- O que você está sugerindo a essa hora da manhã, senhorita Lovato?

- Eu já disse. O que você quiser.

Ainda era cedo, mas ela queria encerrar aquele assunto e ela sabia muito bem o que os homens do tipo de Ian gostam. Então ela enlaçou as pernas na cintura dele, fazendo os corpos se aproximarem. Acariciando os cabelos negros de Ian ficou se movimentando em seu colo, o fazendo sorrir maliciosamente. – Demi, não me provoca a essa hora da manhã, por favor – Ele disse com uma voz rouca e fraca. Ela tinha acertado em cheio. Os dois estavam praticamente sem roupa então o que veio a seguir não foi tão difícil de acontecer.

- Você gosta disso? – disse mordiscando a orelha esquerda de Ian, e a resposta veio  enquanto ele preenchia sua mão grande no bumbum de Demi , a fazendo gemer baixinho.  Os beijos foram ficando cada vez mais quentes e de repente eles estavam completamente sem roupas e aos risos, quando perceberam a situação de desespero que se encontravam.  Sem aviso ele a penetrou e ela gemeu alto, Demetria não era do tipo controlada e isso o fez rir, ele gostava de ouvi-la gritar o seu nome. Quando o momento  do clímax chegou para os dois, cada um caiu para um lado da cama ofegando e suados, com expressões cansadas, porém felizes. - Vamos tomar café da manhã na Urth Caffé hoje? Só assim para você ter um café de aniversário digno. – Disse olhando as horas no celular – Bom, a essa hora vai ser mais um brunch, mesmo.

- Não me importo, contanto que seja com você. – eles sorriram um para outro. Demi tinha tanto medo de magoar Ian um dia, ele parecia fazer de tudo pra vê-la feliz. Ela já tinha desperdiçado várias chances de ser amada e não faria isso dessa vez, não com ele. – Que foi?

- Nada, só estou observando o quão lindo você é. – Depois de trocarem alguns olhares levantaram para se arrumar em meio a brincadeirinhas e cócegas. Hoje seria um grande dia.

Joe acordou e encontrou uma surpresa em sua cozinha. Estavam lá, Jack e sua mais nova “amiga” Helena, Giu, Dani e por último e mais importante Ben, com uma bandeja de cupcakes no sabor favorito de Joe. Chocolate. Dessa vez eles tinham sido bem organizados. Joseph não desconfiara de nada. Ele esperava uma festa a noite como em todos os anos, então dessa vez – em sua cabeça – eles tinham pensado em uma festa menor e mais íntima. Ele não estava decepcionado, muito pelo contrário, Joe não gostava de nada muito chamativo e com muitas pessoas, só queria os mais especiais por perto. Só queria ser feliz.

- Eu acho que sou a pessoa mais sortuda do mundo por ter amigos como vocês, e juro que dessa vez, não desconfiei de nada – Todos riram, porque ele sempre descobria e fazia uma cara de surpresa super forçada, o que acaba com a graça do objetivo de uma festa surpresa.

Começou a se ouvir um coro de “discurso”. Eles gostavam de ouvir as declarações de Joe e de vê-lo chorar. Em todas as festas surpresa feitas por seus amigos Demi nunca participava, o único amigo de Joe que ela conhecia era o Jack. Ela o dizia sempre que não queria se misturar com essas pessoas que o faziam ser mais desprendido e desinteressado.

- Ah gente, mas eu estou com fome! – Ben com toda sua sinceridade de criança não conseguiu controlar, o pequeno já não aguentava mais esperar.

- Tudo bem filho, vamos comer logo, concordo plenamente com você.

- Eu sei que você está fugindo, mas vou deixar passar porque esse ano você não descobriu. – Jack que quase nunca falava, estampava um sorriso no rosto, apesar da vida corrida ele sempre achava um tempo para dedicar aos amigos, principalmente Joe que não tinha sua família por perto, apenas o pequeno Ben. Mas não é sobre tudo que ele pode conversar com o filho. – Vem logo abraçar a gente. – e todos se abraçaram e o Ben gritando pois estava sendo amassado, mas mesmo assim ria. O garotinho gostava de uma bagunça.

Na mesa arrumada que com certeza era obra da Giu, tinham cupcakes, um bolo pequeno, alguns croissants, uma máquina de café que Joe nunca tinha visto e algumas cápsulas arrumadas para escolherem café da sua preferência, suco, além de outros itens de padaria que ele sempre comprava, porém nunca lembrava os nomes. Olhando ao redor ele foi direto dar um abraço individual em Giu, ele sabia que grande parte disso era mérito dela, os outros sempre ficavam com a parte de engana-lo. Um abraço muito apertado que gerou uns murmúrios de Dani, o que fez Joe e Giu rirem.

- Sei que grande parte disso é culpa sua – disse a amiga sorrindo – muito obrigado, eu não achava que ia ter um aniversário legal depois de umas coisas aí – ele se referia a conversa com Demi.

- Eu já imagino por quem você está assim, mas é seu aniversário, e aquela máquina de café é sua, fique feliz – ela deu um sorriso de orelha a orelha.

- Eu não estou acreditando! Eu sempre quis muito uma dessas, você é incrível, mas não foi muito caro?

- Você e sua mania de perguntar os valores dos presentes...

- Tudo bem, não vou mais perguntar, porque estou muito feliz com o presente. – se abraçaram novamente.

- Joe, esqueci de te mostrar nossos presentes. – disse Dani e cada um deles apareceu com uma caixa, inclusive Ben e passou pela cabeça de Joe se Demetria tinha comprado algo, mas depois ele tirou a ideia da cabeça, pois na mochila de Ben não tinha nada. Ele sempre confere tudo, porque essa semana o garoto ficaria com ele. Eles dividiram assim, quem pega o Benjamin no final de semana passa o resto da semana com o filho.

Eram tantas coisas legais que o Joe ate esqueceu-se de comer. Jack tinha lhe dado um jogo de lentes novas e uma câmera, Dani uma caixa com muitas coisas da Marvel e Star Wars, ele queria abrir tudo e babar em cada coisinha, mas ainda tinham os outros presentes. Por último ele abriu o presente de Ben o que fez todos voltarem a atenção para ele, isso fez as bochechas de Joe corarem um pouco, mas ele continuou abrindo e sorriu largamente quando encontrou um desenho feito por Ben – Esse aqui é você e esse sou eu – Ben disse cheio de expectativa. Na caixa ainda continha uma camisa com uma frase “melhor papai do mundo” e algumas fotos deles espalhadas pela caixa o que fez Joe derramar algumas lágrimas, em algumas fotos Benjamin era um bebê.

- Vem cá me dá um abraço vai. Seu presente foi o mais lindo.

- Eu, a tia Giu e a tia Dani que escolhemos tudo – elas sorriram por ele não querer levar o crédito sozinho.

Depois de uma manhã de festa, eles foram para o restaurante que já estava reservado para eles, onde Giu teria um imprevisto forjado para terminar de ajeitar a verdadeira festa de Joe. Essa festa teria um pouco mais de gente, mas com certeza, seriam pessoas que ele não detesta. Algumas muito importantes desde que ele chegou em L.A. Depois de Giuliana ter ido embora, todos resolveram fazer um passeio. Ficaram passando pelo parque distraidamente, nesse momento Demetria estava passando de carro de volta da Urth Café. Joseph estava de mãos dadas com Ben, que também estava de mãos dadas com Dani, isso a fez pensar que por causa disso Joseph não se importou com a notícia do seu casamento. Ela não iria admitir que seu filho fosse criado por Joseph com outra mulher, ele nem ao menos tinha a comunicado que estava com outra. É como se todos os passos da vida de Joseph tivessem que ser comunicados a ela.

- Você está bem Dem? – Ian a perguntou um pouco intrigado.

- Estou sim – ela sorriu forçadamente.

Até a noite ainda faltavam algumas horas e como Ian não quis festa de aniversário eles resolveram virar o ano em um hotel de luxo onde estariam alguns conhecidos. Já Joseph não fazia a mínima ideia de como seria seu réveillon, mas confiava plenamente no que os amigos fariam.

- Eu vou para casa pessoal, o Dan precisa descansar porque senão a noite ele vai querer dormir. Jack passa lá em casa e pega a gente?- Jack assentiu. Eles se despediram e cada um foram para suas casas, pelo menos era o que Joe estava pensando.





 CONTINUA...
oi genteeeee. bem aí está mais um capítulo pra vocês, espero que tenham gostado e comentem! PLAESE. 














quarta-feira, 27 de junho de 2018

Capítulo 3 - The Meeting











 
Demetria estava super atrasada. Ficou bastante tempo pensando e repensando na atitude de Joseph, mais cedo. De certa forma ela se sentiu desapontada, seu lado arrogante queria que ele esperneasse, ou pedisse pelo amor de Deus que ela não se casasse. Mas não era hora de pensar no ex-marido e sim na hora que ela tinha marcado com a sua dentista nova. Giuliana Smith.
- Espero ao menos que seja uma profissional decente. – disse já na recepção do consultório. – Demetria Lovato, tenho horário marcado aqui hoje.
Enquanto a recepcionista digitava, ela batia seu salto caro impacientemente no chão branco da recepção. – Senhora, no nosso sistema consta que perdeu o horário e terá que remarcar. – A moça disse já com receio, não era difícil notar que Demetria não é fácil de lidar.
- Querida, eu marquei e quero ser atendida agora! Se eu tivesse chegado no horário ela estaria me atendendo nesse exato momento. – Disse já exaltada – E não é senhora, é senhorita!
- Me desculpe, mas...
- O que está havendo aqui? – Giuliana apareceu e respirou fundo quando viu quem estava ali, era a ex de seu melhor amigo, Joseph.
- Essa funcionária incompetente disse que não serei atendida. Mas eu marquei horário!
- A minha funcionária que por sinal é bem competente só está cumprindo as regras da casa, o limite é de trinta minutos de atraso e creio que a senhorita foi informada.
Demi ficou bastante sem jeito, o que era bastante raro. Demetria Lovato nunca abaixava a cabeça. – A senhorita poderia me atender? Minha agenda vai estar cheia por dias e hoje é o único dia que tenho. – Giu fez cara de satisfeita. Nunca pensou em ver a tão famosa Demetria numa circunstância como essa.
- Eu vou atendê-la, mas que isso não se repita. E a Claire merece desculpas, não acha? Importa-se de ser a última?
- Claire? – Ela se deu conta que se tratava da recepcionista e respirou tão fundo que provavelmente faltou ar no ambiente. – Me desculpe Claire.
- Tudo bem, senhorita Lovato.
A atitude de Giu não foi nada profissional, mas ela pensou nas vezes que viu seu amigo chorar por causa da petulância e arrogância daquela mulher. Como uma alma tão pura e boa poderia amar alguém como ela? Às vezes lhe faltava a paciência em ver o Joe relevar tantas coisas várias vezes, apenas porquê a princesa dos cosméticos não gosta de ser contrariada.
-Ah, e sobre o horário, eu espero. - Giuliana assentiu e voltou ao seu consultório.
Demetria olhou ao redor e percebeu que haviam mais três pessoas  na sua frente, estava pedindo a Deus que fossem atendimentos rápidos. Ela nunca tinha pensado em passar por alguma situação dessas, de certa forma se sentiu um pouco humilhada e não sabia porque tinha se sujeitado aquela mulher. A forma como a dentista tinha se dirigido a ela lhe fez sentir como uma criança malcriada.
Depois de algumas horas a base de água, ela finalmente seria atendida. Levantou-se, empinou o bumbum e os seios, fez questão de bater o salto bem forte no porcelanato, chamando a atenção de Claire que estava entretida em seu trabalho.
- Senhorita Lovato. Pelo que vi é apenas uma inspeção de rotina. – Ela afirmou com a cabeça. Resolveu evitar falar. – Pode se sentar e... Abrir a boca.
Giu não era tão malvada a esse ponto, então resolveu, dessa vez tratá-la como todos os seus pacientes. Ela observou que Demetria cuidava muito bem dos dentes. Disto ela não poderia reclamar, até bufou em desgosto. No dia seguinte seria o aniversário de Joe e ela já estava mirabolando em sua cabeça para surpreender o amigo e iria falar com a Dani.
- Bem, você precisa da habitual limpeza, talvez um branqueamento, mas de resto está tudo do jeito que deveria. Parabéns você cuida muito bem dos dentes. – Demi sorriu largamente sem hesitar, estava se sentindo por cima outra vez. E olha que a Giu só tinha elogiado seus dentes. – o branqueamento fica para uma próxima data, mas a limpeza pode ser hoje.
- Quando terminar aqui marcarei uma nova data com Claire.
Depois disto o único barulho que se ouviu foi do equipamento de limpeza dentário. As duas não trocaram uma só palavra e irônico é que estavam pensando na mesma pessoa, só que de formas diferentes. Demi pensava às vezes se era possível arrancar seu filho do pai, ela não achava que Joe tinha porte para ser pai de um filho seu. Em sua mente, ele não teria nada de bom para ensinar a seu filho.
Já Giu, estava pensando como engana-lo amanhã, nunca dava certo, mas pelo menos ele ficava feliz. Toda festa que Demi tinha feito para ele era com intuito de fazê-lo trabalhar com aquela gente que ela tanto venera. Ela nem tinha convivido com Demetria e já a achava insuportável em um nível que nem sei se era possível medir.
- Prontinho. Já está liberada e até a próxima. – as duas apertaram uma a mão da outra e Giu abriu a porta para Demi sair.
Demetria foi andando rapidamente de volta a recepção e deu um sorriso bem forçado para Claire que estava buscando ser o mais cuidadosa possível. – Quero marcar um branqueamento para daqui uma semana, quais horários disponíveis?
- Pela manhã temos: 8:00, 10;00 e 11:30 e pela tarde 3:30 e 4:30. – Demi pensou um pouco e respondeu:
- 4:30 da tarde está ótimo. Até lá, Claire.
Depois de um tempo Giu apareceu e se assustou de ainda ver Claire ali. – Ainda aqui, Claire?
- Eu queria explicar o que houve...
- Eu sei o que houve – Claire fez uma expressão confusa – A senhorita Lovato não sabe ser educada. Não se preocupe e não se acanhe de aplicar as regras só porque ela intimida. E vá para casa, que eu saiba você ainda não mora aqui.
As duas riram, e Claire se levantou acompanhando sua patroa.

Enquanto Giu saía o caco do trabalho, Joe, Ben e Dani dormiam na cama de Joe depois de uma tarde divertida e cansada. E o celular de Dani tocou, querer atender ela não queria, mas já imaginava quem seria. Giuliana tinha lhe dito que ligaria e o assunto era extremamente importante.
- Alô – disse saindo do quarto e indo para o banheiro social – Já sei o motivo da ligação da ilustre senhorita Smith.
- Já tem alguma ideia?
 - Pensei em usar a casa do Jack, o miserável do Joseph não vai trabalhar amanhã, mas o motivo é nobre e não estou falando do aniversário.
- O Ben não é? Nem precisa dizer que eu sei que é. E aquela sua amiga Sophie? Vai mesmo apresentá-los?
- Sim, amanhã, ele vai pirar quando eu fizer isso.
- Eu vou conversar com o Jack, sua missão vai ser leva-lo lá na hora certa. As 10:00 PM e a gente já vira o ano lá mesmo
- Deixa comigo. Vai ser a melhor virada! – Giu riu, todos os anos ela falava a mesma coisa.
- Mais uma melhor virada para sua lista. Você preparou a tal coreografia?
- Sim, e chamei a Sophie. Enquanto isso vai ter aquele espetáculo de slides com as fotos que você selecionou. Eu amei todas, o Jack até chorou. – elas riram alto, mas Dani ouviu um barulho. – vou desligar, tem alguém vindo, beijo e até amanhã.
As duas desligaram a chamada e Dani abriu a porta. Mas era o pequeno Ben que provavelmente estava com muita fome.
- Vamos comer pequeno? – ele apenas balançou a cabeça positivamente e deu à mão a tia.



Oi genteeeeeeeee. acho que demorei um pouco, então me desculpem por isso. sobre o capítulo quem gostou do primeiro encontro da Giu com a Demi? será que a festa do Joe vai dar certo? espero que tenham gostado. até o próximo, beijos.
P.S ainda ta de pé a proposta de grupo no whats com leitores

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Capítulo 2 - Having a little fun



Depois de um tempo, finalmente eles estavam em casa. Joe resolveu deixar os passeios para tarde, ele ainda não estava bem com aquela história.

- Papai? – Joe estava tentando disfarçar a tristeza e a raiva na frente de seu filho, mas era muito difícil. – Você está triste?

- Não meu filho, impressão sua. – Enquanto ele mentia para o filho e ele próprio, piscava várias vezes para tentar afastar as lágrimas que se acumulavam em seus olhos. – Filho você acha que eu sou um pai ruim? – e a crise havia começado...

Todas as vezes que Demetria passava em sua cara que ele não podia dar o que a maioria das vezes seu filho queria, Joe parava para refletir se vinha fazendo um bom trabalho como pai. Mesmo sabendo que a necessidade do seu filho não era o brinquedo de duzentos dólares da loja, ele queria poder ver o sorriso do seu pequeno ao receber um presente dele. A última vez que ele se sacrificou para comprar algo desse preço ficou com o orçamento apertado.

- Você é o melhor papai do mundo! – Ele não conseguiu segurar as lágrimas dessa vez.

- Vem cá e me abraça meu pequeno. Você é a única alegria da minha vida, me desculpa se eu às vezes não consigo te dar o que você me pede, mas eu te amo muito.

O pequeno Ben apenas piscava sem conseguir entender muito bem o que seu pai queria dizer, mas Joseph precisava desabafar para conseguir se sentir melhor.

- Papai, o que você acha de eu cozinhar com você hoje? – Joe ainda secava as lágrimas e sorria ao mesmo tempo.

- O que você quer almoçar hoje? – Os dois foram andando lado a lado para a pequena cozinha do apartamento. Joe abriu a geladeira, olhou de cima a baixo e resolveu sugerir um prato que seu filho não iria recusar. – que tal lasanha de panqueca?

- Amei a ideia. Então, como eu posso ajudar? – Joseph caiu na gargalhada em ver a pose do pequeno Ben, praticamente um chefe de cozinha graduado e cheio de marra. – Ué, do que você está rindo pai?

- Dessa sua pose aí. Aprendeu isso com quem?

- Não sei, acho que vi na TV. – Joe balançou a cabeça negativamente e sorriu. E começou a pegar os ingredientes e acessórios da cozinha. – eu vou cortando as coisas e quando precisar que você pegue algo, eu peço.

E a bagunça tinha acabado de começar. Joe podia se dar bem com os sabores e tal, mas era um cozinheiro bem bagunceiro, e com o Ben de ajudante não tinha como ser diferente. Era farinha no balcão, no chão, no fogão... Quando terminaram de montar a travessa da lasanha e olharam ao redor, resolveram organizar, pois à tarde o Joe prometeu levar o filho para um passeio, que segundo ele, seria incrível.

- Agora eu acho que está na hora de tomarmos um banho. A lasanha já até assou, enquanto esfria, a gente se arruma.

- Ah pai, mas eu estou com fome! – Joseph pôs as mãos na cintura e fez cara de quem iria dar o maior sermão da sua vida.

- Se você não for para o banheiro agora, eu vou te encher de cócegas! – e o Ben saiu correndo e rindo ao mesmo tempo e quando iria cair, o Joe o pegou nos braços. – Vamos voltar, porque me esqueci de desligar o forno. E nós vamos tomar banho, ouviu bem?

Depois de desligar o forno, eles foram para o banheiro fazer outra bagunça só que dessa vez com água. Depois de tanto splash, estavam lindos e cheirosos e com muita fome. Por causa do papo com Demi isso acabou comendo um pouco do tempo da manhã de Joe.

Enquanto almoçavam na cozinha, ele pensava se aceitava ou não a proposta de ser paparazzi. Desde o início da sua carreira, esse era o trabalho que ele mais recusava, achava que aquilo não era muito bem a arte que ele sempre sonhou em trabalhar. Se ele não tivesse um filho, não estaria tão preocupado e com a cabeça nas nuvens agora. Ele estava começando a pensar nas cobranças diárias de Demetria, em como Ian ultimamente ocupava o seu lugar em muitos momentos. Já estava começando a ficar bem difícil essa guarda compartilhada.

- Pai, a tia Giu e a tia Dani podem ir com a gente para o passeio especial? – O Ben disse de boca cheia – Eu estou com saudade delas.

- A tia Giu, eu sei que está trabalhando hoje, mas a tia Dani eu posso ver. – O pequeno balançou a cabeça afirmativa e freneticamente.

A Daniele e a Giuliana, melhores amigas de Joe o pressionavam todos os dias sobre isso. Elas sempre diziam que o Joe não percebia o rumo que estava tomando tudo aquilo. Elas até entendiam o fato de evitar confusão, mas ele não podia abrir mão do filho dele e era isso que parecia que a Demi queria. 

Joe resolveu mandar mensagem para Dani, a mesma disse super topar com o passeio, para a felicidade do Ben.

- E para onde vamos mesmo?

- É um lugar especial que o papai tinha costume de ir quando chegou aqui e não tinha muitos amigos, ainda não tenho muitos, mas tenho alguns muito especiais. – Os dois sorriram um para o outro. Impressionante como eram parecidos.

Eles escovaram os dentes e foram buscar a Dani, que parecia tão entusiasmada quanto o Benjamin. Foram cantando bem alto durante o caminho inteiro, parecendo um bando de malucos, porém felizes.

O Ben ficou encantado com a cachoeira e já queria dar um pulo, mas o Joe  segurou a tempo e a Dani ficou rindo.

- Pelo amor de Deus não faz isso comigo, sua mãe me mata se acontece algo com você.

- Ela já quer te matar sem nada – Dani disse entre dentes e  Joe a olhou com reprovação. – Não está mais aqui quem falou. – e foi entre tapas e beijos até voltarem para casa.

Continua...

Oi genteeee. aí está o capítulo 2. o que estão achando dos personagens? Espero que gostem. beijo beijo. obrigada pelos comentários respostas aqui :comentários








sábado, 9 de junho de 2018

Capítulo 1 - The Real End






30/12/2017

E mais uma vez o despertador estava tocando. Oh meu Deus, Joseph só queria dormir, já fazia anos que ele não sabia o que era dormir às oito horas recomendadas por dia. Passava suas noites e madrugadas editando suas fotografias, era seu trabalho e ele não tinha para onde correr.

Resolveu não ativar mais o modo soneca, pois o compromisso de hoje era com a pessoa mais importante de sua vida: Seu filho. Depois de seu divórcio com Demi, Benjamim é o motivo de todos seus sorrisos, apesar da dificuldade que ultimamente ele vem encontrando para estar perto do seu pequeno, ele sempre dá um jeito.

Ainda era difícil acreditar, mas sim, ele estava divorciado. Ele não sabia como tinham chegado aquele ponto, mas tudo estava tão difícil, às vezes parecia que Demetria queria arranca-lo da vida dela, ou afastar o pequeno Ben, dele.

Entre tantos pensamentos, ele suspirou e começou a arrumar sua pequena bagunça, está aí a vantagem de morar sozinho, ele arrumava aquilo quando desse certo. Foi catando objeto por objeto, e pensando em coisas divertidas para fazer com Ben, hoje. Tomou banho, comeu uma fruta e pegou seu velho carro, que Demi sempre chamava de lata velha.  Não demorou muito para avistar a entrada do condomínio, ele nunca ia poder dar aquilo para ela. Às vezes ele refletia se não foi orgulhoso de não aceitar as propostas de trabalho dela. Demi conhecia muita gente, isso era fato, mas ele estava cansado de ser humilhado, por não ser ganancioso que nem ela.

Joe tocou a campainha. O som ecoou por um tempo no silêncio daquele lugar, depois de tocar por uma segunda vez, ouviu alguns passos e... Três vozes. Ian estava lá, outra vez.

- Oi Joseph – aquele olhar sério de sempre o irritava, custava ao menos dar um sorriso? Ser simpática não a mataria. – Entre, precisamos bater um papo.

- Um papo. – Joe suspirou, sabia que não iria gostar, e por quê aquele cara estava segurando filho dele? –  E você filho, não vai falar comigo? – Dessa vez ele deu um sorriso.

- Eu tava com meu brinquedo novo. Aquele que eu queria, lembra? – era sempre assim. O Ben pedia algo ao Joe, mas sempre ganhava antes do Joe poder comprar. – foi o tio Ian que me deu.

- é muito legal filhão, que bom que ganhou. – Ele tentou parecer o mais entusiasmado possível.  – O que você quer conversar?

- Venha para o meu escritório, é melhor. – os dois foram em silêncio até chegar a uma porta grande e marrom. Demi arrastou a porta de correr, eles entraram, ela arrastou outra vez e trancou-a. Joe franziu o cenho. O que falariam de tão secreto? – Eu sei que não te devo satisfações, – Ele assentiu – mas o Ian não é apenas um amigo e você sabe disso, e nós decidimos nos casar.

Joe não percebeu, mas ficou cerca de dois minutos parado. Ele estava um pouco pálido, até. Lembrava como se fosse hoje seu pedido de casamento para ela:

Flashback 31/12/2013

Um  ano depois do primeiro contato e ali estavam eles em mais uma festa de ano novo do Jack... Ele era o rei das festas. Joe aquele dia estava super nervoso passou horas para se arrumar. E aqueles cachos rebeldes então, o que fazer com eles? Até pegou um carro legal emprestado com o Jack.

Ele passou para pegar Demi na casa dela, Joseph havia descoberto várias coisas sobre sua namorada naquele tempo, inclusive que ela era dona de sua própria empresa de cosméticos tão nova. Isso o assustava um pouco, mas ele pensava que o amor pudesse derrubar qualquer barreira.

Quando Demi finalmente desceu as mãos dele começaram a suar, ele não sabia nem como agir com a própria namorada. Para piorar sua situação ela sentou em seu colo e sentiu a embalagem do anel em seu bolso. Burro! Ele pensou, mas agora não tinha mais jeito.

- O que é isso? – Ela perguntou.

- Bem... Isso não ia ficar para agora, mas eu não vou conseguir te enganar nervoso do jeito que estou e...

-Joseph você pode ir direto ao ponto? – ela pediu e ele fez. Tirou a caixinha do bolso e disse a famosa frase:

- Quer casar comigo? 

* fim do flashback*

- Joseph? – Ela estava estalando os dedos frente ao rosto dele.

- Oi, eu me distraí. - ela fez uma cara óbvia - Era só isso? – Demetria fez uma cara descontente.

- Era. E você pode abrir mão do seu domingo com o Ben? Amanhã é aniversário do Ian e eu...

- Não me interessa se é aniversário dele, porquê amanhã também é meu aniversário!

- Você passa seu aniversário todos os anos com ele

- Mas eu sou o pai dele porra!

- Não grita comigo, eu não admito! E de certa forma o Ian vai ser uma espécie de pai para o Ben. Até já é, suprindo o que você não dá para o seu filho!

- Eu não vim aqui para isso. – Joseph respirou fundo e foi em direção a porta. Antes deu uma olhada para trás e perguntou.  – As coisas do Ben estão prontas? – Ela revirou os olhos e respondeu:

- Estão.

Depois daquelas últimas palavras Joe pegou seu filho e saiu pela porta pensando em nunca mais voltar, mas as coisas não funcionam do jeito que a gente planeja.



Continua...


Geeeeeeeeente postei o primeiro. Espero que amem, quais as primeiras impressões dos personagens? Me falem nos comentários

Prólogo - The Beginning



09/05/2012

Joseph estava totalmente perdido naquele lugar. Apesar de ter sido convidado pelo único amigo que tem na cidade, aquela festa estava cheia de estranhos e com pessoas de costume esquisito. Ele vestia seu velho jeans rasgado e uma camisa bem básica, se olhou e sentiu vergonha. Mas o que ele iria fazer? Jack havia lhe dito que seria uma festa simples, sem muita besteira.

Ele decidiu passar no bar e pegar um drink. Era o que lhe restava aquela noite, apesar das muitas mulheres bonitas, e quando se diz bonitas seriam daquelas em que seriam muita areia pro caminhãozinho de qualquer um. Enquanto ele se balançava ao som daquela música alta demais pro seus ouvidos, bebia seu drink doce, até que era gostoso.  O que Joe não esperava, era que ela chegasse ali, naquele exato momento. E pelo amor de Deus, quem era aquela mulher? O cabelo castanho tinha algumas mechas, o rosto tinha traços tão lindos, corpo com curvas maravilhosas...  Fotografar aquela mulher seria um sonho. Joe chegou a imaginar fotografa-la sem as... Balançou a cabeça para espantar os pensamentos, ele nem a conhecia...

31/12/2012

Joseph estava ficando finalmente familiarizado com a cidade, com as pessoas, tinha até copiado alguns costumes de L.A. Ainda não faturava muito como fotógrafo, mas estava vivendo seu sonho. Teve até uma namorada durante esse tempo, mas não deu certo. A garota da festa que ele tanto ficou olhando tinha virado uma conhecida, mas só da parte dele, porque ela parecia nem nota-lo. Era o que restava. Uma mulher tão independente e forte não iria nem sequer olhar para ele, nem que fosse sem querer.

Em mais uma festa, dessa vez mais arrumado, com seu jeans novo, camiseta de banda e jaqueta de couro, estava tomando de novo aquele drink doce, mas desta vez não estava tão bom como na primeira.

E lá estava ela, mais uma vez, em um lindo vestido branco. Joe, dessa vez tinha levado sua câmera e não perdeu a oportunidade. Ela não parecia ter gostado muito, pois começou a bater os pés em sua direção.  Parece que alguém estava encrencado.

- Quem você pensa que é para me fotografar assim? Por acaso é algum tipo de paparazzi nojento? Eu sou linda, mas não sou nenhuma dessas atrizes ridículas que costuma ver por aí. – Ela nem dava espaço para o pobre Joe se defender – Não vai falar nada? Vai ficar me olhando?

- Me desculpe, eu sou fotógrafo, eu sou achei que seria uma linda foto, se gostar e quiser lhe envio por email, não irei cobrar nada. – Apesar da tensão, ele mostrou-lhe a foto, e pelo sorriso, ela tinha ficado encantada.

- Bem, ficou legal até. Como é seu nome? O meu é Demetria, mas pode me chamar de Demi. – Depois do momento estresse ela havia percebido que o fotógrafo era até bonitinho. Bem, era esse tipo de adjetivo que ela costumava usar.

- Joseph, mas pode me chamar de Joe. – Os dois sorriram um para o outro. – Se você quiser a foto eu posso te passar meu número, o que acha? – Ela franziu o cenho. Ele estava a cortejando?

- Eu quero sim – Ela pegou o celular, e ficou esperando ele lhe dizer. – Desistiu de dar o número?

- Eu acho que você não vai escutar direito aqui dentro, vamos para parte da praia lá fora, quem sabe eu tiro mais algumas fotos suas. – Ela não deixou de dar um sorriso convencido, sim! Ele estava dando em cima dela.

- Também acho que seria melhor.

Os dois não demoraram muito para chegar a praia. Joe ditou seu número e Demi digitou e salvou como fotógrafo gato, enquanto salvava dava sorrisinhos e Joe estava perdido sem saber o que passava por aquela cabecinha ardilosa.

- Pronto, salvei. Você só trabalha com isso? – Ela direcionou a cabeça para câmera e ele assentiu. Naquele momento os dois pareceram não saber muito o que fazer. Os olhos simplesmente pareciam pegar fogo enquanto se olhavam então Joe tomou a iniciativa e a beijou.  


Então leitores lindos, aqui está o tão esperado prólogo espero que vocês amem, pois eu amo demais essa história. Até o capítulo 1

Comentem, por favor, é muito importante pra mim